Rúbrica Conselhos de amiga - Ortoréxia, o novo transtorno alimentar!

 




Olá a todos. Hoje inauguro uma nova rúbrica no blog. Nesta rubrica abordarei diversos temas, e falarei para vocês como vossa amiga... será um cantinho de conselhos, desabafos e tudo mais :-)

O tema de hoje está ligado á saúde e deve ser encarado com uma certa seriedade, pois pelos vistos são cada vez mais os casos diagnosticados.

Não fazia ideia que existia esta doença e tive conhecimento dela numa reportagem feita pelo Fala Portugal da Tv Record, que vi no facebook da Dra. Iara Rodrigues (autora da Dieta 1 2 3), a qual é uma das entrevistadas.
Resolvi partilhar o vídeo convosco, o qual podem assistir clicando aqui, e fiz ainda uma pesquisa sobre o tema, para melhor se entender esta doença.

Ortorexia

Quando a maioria das pessoas pensa em transtornos alimentares, imaginam raparigas esqueléticas que se matam à fome ou que forçam vómitos. Estas são imagens típicas dos habituais tipos de transtornos alimentares, mas os especialistas descobriram agora que as pessoas estão a sofrer de outro tipo de transtorno alimentar e atribuíram-lhe um novo termo: ortorexia.

O que é a Ortorexia?


A ortorexia é um transtorno alimentar recentemente diagnosticado, que surge quando a pessoa se torna obsessiva quanto aos padrões daquilo que come. Ao contrário da anorexia ou bulimia, a pessoa permite-se comer, mas fica tão obcecada com o que come que todos os seus pensamentos ficam ocupados com a dieta.

Permitem-se apenas alimentos saudáveis e escrutinam o conteúdo nutricional de cada elemento que ingerem. Calorias, vitaminas e nutrientes tornam-se o ponto focal da comida e qualquer coisa que contenha o mínimo vestígio do que está na lista do “não é permitido” não é consumido.

Embora todos possamos beneficiar ao adoptar esta atitude de forma mais habitual, estes “mártires” levam a obsessão com o conteúdo dos seus alimentos ao extremo, e não se permitem, em circunstância alguma, um desvio do seu programa de tipos de alimentos autorizados.

Sinais de Ortorexia (faça a si próprio as seguintes perguntas):

  • Examina cada pormenor do que se encontra em cada alimento?
  • Só se permite alimentos saudáveis?
  • Consegue comer uma refeição preparada por outra pessoa?
  • Observa e comenta a maneira como outras pessoas preparam a comida?
  • Dá consigo a pensar em conteúdo nutricional durante o dia?
  • Preocupa-se ao comer qualquer coisa que possa não ser “boa” para si?
  • Perdeu muito peso recentemente sem seguir conscientemente uma dieta?

Efeitos da Ortorexia

Os ortoréxicos podem ficar seriamente afectados e a comunicação em casa pode sofrer com isso. A pessoa pode começar a isolar-se dos seus semelhantes e tornar-se distante à medida que se vai fixando cada vez mais nas suas regras dietéticas.

Para alguns, a capacidade de desempenhar trabalhos ou de estudar pode começar a declinar, à medida que a sua mente se ocupa cada vez mais com a sua dieta e com os alimentos que são permitidos, como articulá-los no seu dia-a-dia, quantas vezes se devem mastigar e por aí fora. Há tantos factores que envolvem estes transtornos alimentares que os pensamentos podem ficar totalmente ocupados por eles, deixando pouco espaço para outros rumos de ideias e a concentração e a motivação acabam por ficar na retaguarda.

Obter ajuda e Tratamento

Como muitos transtornos alimentares, a ajuda de um profissional é normalmente requerida, assim como os tópicos envolvendo o desenvolvimento da desordem precisarão tanto de tratamento como o bem-estar nutricional da pessoa.

O seu médico poderá indicar-lhe onde encontrar ajuda especializada; outra alternativa será ligar para uma das muitas linhas de ajuda e falar com alguém altamente treinado e familiarizado com todos os diferentes assuntos referentes a transtornos alimentares.

Embora a doença não seja tão conhecida como outros tipos de transtorno alimentar, pode ter o potencial de ser igualmente séria para a saúde e está envolta de problemas semelhantes de controlo de comportamento em relação aos outros transtornos alimentares, e a pessoa irá precisar indubitavelmente de alguma intervenção profissional para ultrapassar o problema.

Fonte de pesquisa: Internet


Ficaram alarmados com o ouviram e leram? Pois bem... eu também fiquei!
É como vos tenho dito... fazer dieta? Sim... Mas sem exageros... Sem dramas... Sem pressões!
Não perderam muito peso inicialmente? Não faz mal... A seu tempo irão notar os resultados!
Ganhar novos hábitos alimentares? Sim!
Aplica-los de forma consciente no nosso dia a dia? Sim!
Ficar obcecados e abdicar para sempre de sentir o prazer de comer certos alimentos que até então gostávamos? Nãooooo!
Tudo na nossa vida deve ser feito com conta, peso e medida! Porque teria de ser diferente com a nossa alimentação? Se gostamos de comer determinado alimento, podemos sim comer num dia da semana... na folga por exemplo! E durante o resto da semana tentar ter uma alimentação saudável!

Com esta publicação queria apenas que todos ficássemos conscientes da importância de não sermos radicais nas escolhas da nossa alimentação!

De resto...  Sejam muito felizes!  ;-)

Avaliação

0 comentários:

Enviar um comentário

Deixa aqui o teu comentário / dúvida, responderei o mais breve possível!